Tempos atrás, quando éramos crianças, não havia nada de mais fantástico do que assistir a filmes que populavam nossa imaginação com histórias fantásticas de mundos distantes, bravos heróis e a esperança de um futuro feliz. Filmes como Star Wars, Indiana Jones e De Volta para o Futuro fizeram grande parte de nossas infâncias e a identidade de cada filme está gravada na nossa cabeça: a naves de Star Wars, as aventuras de Indy, o Delorean de Marty McFly, a caça aos andróides de Blade Runner, o companheiro E.T.. Pode parecer que são coisas completamente isoladas, mas uma coisa as une, de maneira sólida: a arte de Drew Struzan.

Nascido em 1947, Drew persistiu muito como ilustrador para poder dar uma boa vida para sua família. Persistência essa que é reconhecida e recompensada pelo sucesso que Drew alcançou. Sucesso alcançado através de posteres de filmes como os que já citamos, além de Hook - A Volta do Capitão Gancho, Rambo, Goonies, Harry Potter, Hellboy, A Coisa, entre mais de 150 outros. Mas pelo que pudemos ver, tanto sucesso não afetou em nada a qualidade que muitos por aí carecem: a humildade. Drew Struzan gentilmente nos concedeu essa entrevista e é uma honra para nós compartilharmos um pouco da experiência dele com todos.

Art by Drew Struzan
Indiana Jones

1) Primeiramente, eu gostaria de agradeçê-lo grandemente pela sua generosidade em responder essas perguntas. Somos todos grandes fãs e admiradores do seu trabalho, o qual tem feito parte de nossas vidas desde que podemos lembrar. É incrível como o mundo inteiro já teve contato com seu trabalho, direta ou indiretamente. Como o senhor se sente sabendo que, através do seu trabalho, teve contato com tantas pessoas ao longo dos anos?

Paulo, obrigado VOCÊ. Quem sou eu para que você se importe comigo? Fico lisonjeado por qualquer atenção dada a mim ou ao meu trabalho. Sempre vive de maneira tranquila, cuidando dos meus próprios assuntos, sendo praticamente ignorado. Da infância à maioridade, meu talento não me trouxe amigos, muito pelo contrário, a inveja dos outros me levou a um estado de espírito solitário, vulnerável e confuso. O melhor de mim nunca pareceu bom o suficiente.

Agora sei que isso não é incomum ou mesmo raro. Veja, sou apenas um trabalhor tentando construir meu caminho. Devido à falta de reconhecimento, e pelo número de lutas, sei que sou mais um entre todos. Estamos todos juntos. Aliás, isso é verdade, bom e correto. Estou com vocês, apenas fazendo o que faço.

Sem ser por minha culpa, acabei pintando para a indústria de cinema. Os posteres que fiz cruzaram o globo, visto em praticamento todos os lugares por milhões, senão bilhões de pessoas. É falado que o poster de Star Wars Episódio I, pelo fato de não ter sido alterado em nenhum momento, tornou-se a peça de arte mais vista de todos os tempos. E isso não é mérito meu.

E aqui estava eu, o artista persistente e pouco apreciado, como a maioria de nós artistas. Então um dia essa tal World Wide Web começa a me conectar com pessoas além do meu círculo usual. Pela primeira vez, comecei a aprender que as pessoas não somente viam meu trabalho, mas gostavam, eram inspiradas por ele, eram encorajadas e também tinham um pouco mais de alegria graças a ele. Eu nunca saberia.

Como me sinto sabendo disso? Alguém acha que tal conhecimento me deixa torna poderoso, me faz brilhar ou ainda me faz mais inteligente que o cidadão comum? Creio que sou feliz por saber que algo que fiz acrescentou algo a outras vidas, no grau que for. Não consigo imaginar outra coisa melhor ou mais simples que um homem simples poderia fazer dar para os outros. Aí está todo o valor.

Quanto a mim, além de ser grato por essa oportunidade, continuo sem mudar. Firme, quieto, recolhido, simples... você sabe, o clássico artista recluso.

"Veja, sou apenas um trabalhor tentando construir meu caminho. Devido à falta de reconhecimento, e pelo número de lutas, sei que sou mais um entre todos. Estamos todos juntos."

Art by Drew Struzan
Star Wars - Episódio I

2) O que o levou a entrar para o ramo de ilustração de pôster? Depois de quanto tempo e como surgiram as oportunidades dos primeiros grandes trabalhos?

Depois de conquistar minha educação, tentei trabalhar. Não como um dom, mas como uma luta. Minha família e eu passamos anos abaixo da linha de pobreza. Eu trabalhava, mas a renda era pouquíssima. Eventualmente, comecei a trabalhar num estúdio como ilustrador. Isso provou-se ser exatamente o que eu queria. Trabalhava todos os dias fazendo imagens, mas a diferença é que meu trabalho estava sendo visto, impresso e distribuido. Essa foi a chave. Meu trabalho começou a ser reconhecido e clientes começaram a perguntar por mim. Até que a indústria do cinema pos os olhos em meu trabalho. Foi através das ligações deles, algo que eu não buscava, que entrei para o ramo de ilustração de posteres.

Não foi a GRANDE chance que eu procurava. Apenas mais um passo para este homem, um passo de cada vez. Grandes trabalhos você diz? Defina grande trabalho. Um filme que pirou cabeças? Bom, levou 7 anos até que um dia eu recebesse uma ligação para um filme novo chamado Star Wars. Esse provou ser a chegada de um grande trabalho. Não pelo pagamento, não pelo reconhecimento, mas um passo adiante na busca por qualidade de trabalho e oportunidade de continuar fazendo isso, mais e mais. Para mim, mais um dia de trabalho, mais um dia colocando comida sobre a mesa, mais um dia grato por poder fazer o que amo... arte.

"Para mim, mais um dia de trabalho, mais um dia colocando comida sobre a mesa, mais um dia grato por poder fazer o que amo... arte."

Art by Drew Struzan
Star Wars - Revenge of the Sith

3) Como surgem as idéias para os posteres? Eles pedem algo específico ou você tem liberdade total?

Sim, claro! O trabalho de fazer um poster de filme é um trabalho onde os grandes e poderosos contratantes ligam e dizem: "Te amamos e te respeitamos muito, por favor pinte um poster para nosso filme. O que quer que você fizer será a melhor coisa do mundo!". Sem chance!

Você sabe que a indústria do cinema tem uma relação cooperativa. É claro que eles tem idéias para um poster. Por "eles", me refiro aos Estúdios, ao diretor, ao escritor, aos atores, aos produtores, às empresas de marketing, aos estúdios de design... todas querem palpiltar, todos tem conceitos, então o velho e bom Drew precisa compilar tudo para satisfazer os chefões e suas esposas. É um trabalho simples com milhões de dólares em jogo.

Algumas vezes eles me dão a direção. Às vezes discutimos opções. Outras, eles não sabem o que fazer, então tomo as rédeas da situação. Nunca é a mesma coisa de trabalho para trabalho; e é isso que mantém tudo interessante. E no final, sobra a mim, juntando tudo e transformando isso em uma peça de arte empolgante. Essa é a minha participação no processo.

"...todas querem palpiltar, todos tem conceitos, então o velho e bom Drew precisa compilar tudo para satisfazer os chefões e suas esposas."

Art by Drew Struzan
Trilogia de Volta para o Futuro

4) Quais são as suas maiores influências como artista? Quais os seus artistas favoritos?

Você sabia que aqui, o imposto de rende não considera artistas como profissionais? Somos isentos disso. A parte boa é que mesmo eles entendem que para um artista, tudo o que ele faz, tudo o que ele pensa, se relaciona à sua arte, e por isso é dedutível de imposto. Tudo serve como influência, como educação ou inspiração. Tudo é feito para a arte. Algumas vezes minha maior inspiração vem não de outras peças de arte, mas de outros pensamentos, idéias e possibilidades. As teorias de Einstein me inspiram, a escrita de Hemingway, o sacrifício próprio de Lincoln, o amor de minha esposa, a gentileza de meus amigos, de esperança, fé e promessas. Os princípios de Deus para a vida são minha maior motivação e me dão minha direção. A verdade é o alvo.

Artistas? Todos eles! Eu aprendo de todos. Aprendi a desenhar com Pontormo e Rubens. Componho com o entendimento de Inges, Degas, Cezanne, El Greco… Não escolho um artista como meu favorito. Favoritos matam a criatividade. Inspiração, entendimento e motivação é o que obtenho de cada um. Você sabe, sobre os ombros de gigantes!

"Não escolho um artista como meu favorito. Favoritos matam a criatividade. Inspiração, entendimento e motivação é o que obtenho de cada um. Você sabe, sobre os ombros de gigantes!"

Art by Drew Struzan
Os Aventureiros do Bairro Proibido

5) De todos os posteres que já fez, qual deles foi o mais legal e divertido de fazer?

Para um homem com a memória curta para o passado e distante no futuro, ser indagado a respeito da mais divertida entre as milhares de peças e trabalhos que já fiz, torna-se realmente difícil. Algumas vezes creio que diversão é definida pelo sucesso da peça, como em Blade Runner. Algumas outras vezes é pela situação, trabalhando com bons amigos como Frank Darabont ou Guillermo del Toro. Algumas pela liberdade a mim confiada para Star Wars, por George Lucas. Outras, por projetos legais como Hook, por causa de Steven Spielberg. No meio de tantas dificuldades da profissão, era o lugar onde sonhos eram feitos e a vida se tornava bela para mim, e claro, divertida.

"No meio de tantas dificuldades da profissão, era o lugar onde sonhos eram feitos e a vida se tornava bela para mim, e claro, divertida."

Art by Drew Struzan
Blade Runner

6) Tentou alguma vez usar computadores no processo criativo, seja para buscar inspiração, ou mesmo para ilustrar?

Há um monte de coisas por aí para estimular o processo criativo e para inspirar e a internet traz tudo à mão. Costumo constantemente usar o computador no processo de design de uma imagem. Ele alivia a dificuldade que o artista sempre teve. Historicamente, quando um artista faz uma imagem que ele tem milhões de escolhas a fazer. Ele precisa escolher uma e torcer que tenha sido a melhor escolha. Ele não pode voltar atrás, só para a frente. Se quando ele terminar, decidir que preferia ter feito um quadro azul ao invés de um vermelho, ele tem que começar uma pintura do zero. O computador permite o design de uma imagem e com o toque de um botão podemos mudar cores, tamanhos e objetos para ver e comparar as nossas escolhas. Ele nos dá a oportunidade de escolher. Isso é algo novo.

"Os princípios de Deus para a vida são minha maior motivação e me dão minha direção. A verdade é o alvo."

Art by Drew Struzan
Harry Potter

7) Qual é a maior vantagem de se trabalhar somente com papel?

Há alguma vantagem que ainda não me contaram? Se você acha que trabalho só com papel, foi informado errado. Trabalho em tudo que é tipo de superfície, de várias maneiras durante o processo criativo.

Se você se refere à maioria de minhas ilustrações, há algumas razões para trabalhar com papel, mas não são motivos para abandonar outras superfícies. Quadro de ilustração porque está sempre pronto par ao uso, à mão, fácil de guardar e transportar e relativamente barato. Além diso, papel é bem estável e dura muito, muito, muito tempo. E quando papel não serve para a arte que estou fazendo, uso a tela de pintura, linho, madeira ou mesmo uma porta.

"...quando papel não serve para a arte que estou fazendo, uso a tela de pintura, linho, madeira ou mesmo uma porta."

Art by Drew Struzan
Hellboy

8) Se você pudesse dar apenas um conselho para os novos, jovens ilustradores, qual seria?

Como Rodney Dangerfield disse no filme Back to School, quando fazia seu discurso, "As coisas são difíceis lá fora. Fique em casa e viva com seus pais". Se você escolheu tornar-se um ilustrador, saiba que as coisas são difíceis. Fama, fortuna e poder não são as recompensas de um Arista / Ilustrador. Faça isso por paixão, por amor, por que isso satisfaz a sua alma e te dá um sentido na vida. Se você não comer, dormir e viver a arte, a vontade de fazer outras coisas te matará.

Quer sentir um gostinho de tudo que é necessário? Para ajudar as pessoas a verem como é meu trabalho, fiz um DVD. Gravei todo o processo, desde a concepção, passando pelo desenho, até a pintura, do começo ao fim de todo meu processo criativo durante a ilustração de um poster de filme. Explico cada passo, mostro o que fiz e compartilho meus pensamentos enquanto pinto. O poster que fiz é o de Hellboy, a pedido do próprio Guillerme del Toro. O DVD está praticamente finalizado e terei em breve um aviso no meu site assim que estiver disponível. Talvez isso ajude a encorajar ou amedrontar os aspirantes a ilustrador.

"Se você não comer, dormir e viver a arte, a vontade de fazer outras coisas te matará."

9) Mais um vez, muito obrigado por dedicar a nós um pouquinho do seu tempo. É realmente uma honra enorme para nós! Desejos a você o melhor, e realmente esperamos que seu trabalho continua forte e vivo por muito, muito tempo, para que as futuras gerações possam experimentar um pouco da mágica que seu trabalho leva a todos! Obrigado, Sr. Struzan!

Nossa, obrigado. Espero que um pouco da minha gratidão a você, ao público e a todos que apreciam meu trabalho, possa chegar até vocês. Eu gostaria que nesses casos eu pudesse me expressar com a facilidade que me comunico com vocês quando ilustro. Deus abençoe a todos... drew

"Quanto a mim, além de ser grato por essa oportunidade, continuo sem mudar. Firme, quieto, recolhido, simples... você sabe, o clássico artista recluso."

E é claro que eu não poderia terminar essa entrevista sem postar junto esse vídeo que inspirou o nome desse post. É uma entrevista de algum tempo atrás com Drew Struzan, realmente muito boa. Espero que gostem.

About the author of this post

I'm Paulo Gabriel, a Publicist by degree and Designer by passion with a taste for the meaningful and emotional. I work at Printi as a Designer and Front-End Developer. Here at Abduzeedo, I always try to bring you only amazing content, things that mean something for me and for those around me.